sábado, 28 de janeiro de 2017

ESTUDO SOBRE A ORAÇÃO





A)- A NECESSIDADE DA ORAÇÃO


A oração é a coisa mais importante que existe! Sem ela, não há como comunicarmos com Deus e não alimentamos nossa espiritualidade, nossa vida eterna, não adquirimos a força, o ânimo e a alegria de viver, não nos tornamos santos, não ajudamos as pessoas que precisam de nossa intercessão. Sem ela, nosso alimento espiritual, a vida perde o sentido e torna-se mais difícil de ser vivida. Ela renova as nossas forças para enfrentarmos as dificuldades não só de nossa vida normal, mas também de nossa vida cristã. Sem a graça de Deus, nada conseguiremos fazer e não poderemos nos salvar. 


É por meio da oração que pedimos a intervenção de Deus em nossa vida e lhe dizemos “sim” à obra da Salvação. É pela oração que lhe pedimos perdão e lhe dizemos que perdoamos aos que nos ofenderam, a nos humilharmos diante dele, e abrimos as portas do coração, como pede o Apocalipse 3.20:


“Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo”.


Abrir a porta a Deus é, antes de tudo, abri-la aos pobres e necessitados, aos doentes e oprimidos. Por outro lado, sem ela, nunca teremos ânimo nem desejo de fazer o bem a quem quer que seja. Abrir a porta a Jesus, pela oração, é, como na hemodiálise, “arejar”, filtrar”, “purificar” nossa vida, nossos desejos e propósitos, é tirar-nos de nós mesmos, do egoísmo, e nos colocarmos à disposição dos outros e do que quer Jesus nos fazer.


Rezar é como ligar a TV na tomada, ou ligar o ferro de passar roupa, ou como colocar gasolina no carro, ou como instalar a bateria para dar-lhe a partida. “Sem a oração viramos bichos!” - diz com humor o bispo D. Angélico S. Bernardino. Também como dizia sempre o pároco de minha infância: “ Quem não reza para dormir, dorme burro e levanta cavalo!”.


A oração está para nós e Deus como a conversa para dois amigos. A oração é a “conversa” entre nós e Deus.


“ Para Deus tudo é possível” (Mt 19,26); “Para Deus nada é impossível” (Lc 1,37); “ Se tiverdes fé (...) nada vos será impossível” (Mt 17,20). Tomamos “posse” do Reino de Deus e dessa graça maravilhosa que ele está sempre disposto a nos dar, pela oração. 


No silêncio interior nós ficamos sabendo quem realmente somos. Deserto do Saara, Assekren, onde o Beato Carlos de Foucauld morava por vários meses, quando queria fazer retiro 


 B – CONHECER-SE E ACEITAR-SE

É preciso muito humildemente conhecermos os próprios desvios, fraquezas, problemas, limites, vícios, manias, fraquezas, preguiça, vaidade, prepotência, mentiras, orgulho etc, e aceitar tudo isso para em seguida vencer-se.


As pessoas que tentam enganar-se a si mesmas, fazendo de conta que não têm este ou aquele problema, entrarão em “parafuso” e num sistema de recalque que as levarão cada vez mais ao abismo e aos erros. Nós somos o que somos diante de Deus, e nada mais. 



Diz João 8,32: “A verdade vos libertará!” Dt 32,4:(...) (Deus é) Deus de lealdade e não de falsidade!” Apocalipse 15,3: “(...) Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações!” Isaías 11,5 : “ A justiça será o cinto de seus quadris e a fidelidade (=a verdade) o cinto de seus rins.” Zacarias 8,16: “Estas são as coisas que deveis fazer: falai a verdade uns com os outros” Efésios 4,25: “ Por isso renunciai à mentira. Cada um diga a verdade ao próximo.” João 14,6: “ Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida!”.



Nosso passado já não existe, mas permanece em nossa memória. Mesmo que tenhamos nos arrependido de nossos pecados, de nosso passado, não há como ignorá-lo! Desse modo, aceitá-lo e recomeçar uma vida nova a partir de agora, é a atitude mais inteligente eprodutiva que podemos tomar. Mas cuidado! Aceitar-se não é permanecer no erro e forçar os demais a nos aceitarem como somos! É preciso vencer-se!


Na oração, coloque o seu passado nas mãos de Deus, peça perdão de tudo o que O desagradou e peça-lhe força, coragem e condições de retomar sua vida de um modo diferente, sem pecados. Deus nos ajuda, mas não nos substitui!


Se algum pecado já perdoado lhe vier à mente, diga a você mesmo que já foi perdoado(a) disso, que não quer mais praticar nada que ofenda a Deus ou que não seja permitido. Se for algum pecado de que até então você não tomara consciência, diga-lhe isso, peça-lhe perdão, proponha confessar-se logo que puder.


Aproveite e agradeça a Deus pelo perdão recebido, pelas graças recebidas e peça-lhe que o (a) ajude a vencer as tentações e provações. Diz Romanos 11,29: “Os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento!”


Nós somos o resumo de tudo o que fizermos na vida. Ignorar o que somos, ou mentir para ganharmos a simpatia dos outros, só nos vai trazer aborrecimentos. Nunca minta dizendo aos outros o que você não é. Tudo o que você não puder dizer, simplesmente diga que não pode falar sobre o assunto, ou coisa parecida, mas não minta. Exemplo: se você só viu o mar pela TV, e alguém lhe perguntar se você já foi ao mar, diga a verdade! Não há nada de vergonhoso admitir que nunca foi à praia.


Da mesma forma, se você for pobre,nunca minta dizendo que é rico (a). Seja sincero (a), e muitos gostarão de você como você é, e você estará sempre preparado (a) para a oração. Aceite-se! 





C – A ORAÇÃO


PRIMEIRA ETAPA: ESCOLHER UMA BOA POSIÇÃO


Escolha uma posição confortável para a oração. Quando sozinhos, podemos ficar em qualquer posição, desde que seja digna e com postura adequada. Quando em comunidade, devemos seguir as rubricas orientadoras (sentados, em pé, de joelhos).


Não se obrigue a ficar de joelhos em todo o tempo da oração, para não prejudicá-la. Quando conversamos com um amigo, de que modo ficamos? Pois a oração é a conversa com o único que é realmente nosso amigo, Jesus Cristo-Deus. O importante é sentir-se bem e confortável nesse encontro com Ele. As orações individuais podem ser mentais ou vocais, a seu gosto, e também a contemplação.


SEGUNDA ETAPA: FAZER SILÊNCIO

Se o silêncio não for possível exteriormente, ao menos o silêncio interior, como fez Jesus várias vezes, sendo uma dessas vezes contada por Lucas 9,18: Ele se isolou dos discípulos e da multidão apenas mentalmente, pois continuara no meio do barulho que eles faziam: “E aconteceu que, estado ele só, orando, estavam com ele os seus discípulos”.


Deus nos fala no silêncio e na calma. Veja a esse respeito o artigo do Dom Edson Damian, clicando no assunto “Deserto”, no índice. Dizia São Francisco de Salles, no século 16, que os homens se entopem de barulho para não ouvirem a voz de seus corações.. Em Oséias 2,16: “Vou levá-ao deserto e aí lhe falarei ao coração.”

Ficar sempre procurando o barulho é uma forma de nunca se ouvir nem ouvir a Deus; é uma fuga dos próprios problemas, é uma forma de não aceitá-los para enfrentá-los. Não tema o silêncio! Com a simplicidade e a pobreza de uma vida humilde e sincera, você não precisará temê-lo. Enfrente-se!



TERCEIRA ETAPA: A ORAÇÃO PROPRIAMENTE DITA

Aqui você reza como achar melhor. Há a oração contemplativa, a oração vocal, a oração mental, a meditação. Acho que todas elas se resumem nos passos da LEITURA ORANTE DA BÍBLIA, que explicaremos a seguir, de maneira bem simples:

1º PASSO: LER UM TRECHO BÍBLICO :-escolha algum ou pegue um da liturgia do dia. Leia-o várias vezes para mentalizar. Se você não sabe qual é, procure no site da CNBB:

2º PASSO: MEDITAR ESSE TRECHO BÍBLICO.


3º PASSO: ORAR SOBRE O QUE SE MEDITOU;

4º PASSO: CONTEMPLAR JESUS, TENDO O TEXTO E A ORAÇÃO COMO BASES.

5º PASSO: LIGAR A PALAVRA COM A PRÁTICA DA VIDA.

Abaixo você pode ver uma outra forma de se fazer a Leitura Orante da Bíblia, com a ordem dos passos um pouco diferente da que eu coloquei: 



Se você quiser ver a Leitura Orante da Bíblia de modo mais completo e bem explicado, clique neste site abaixo. É muito bom e bonito, da CNBB:



OUTRAS ORAÇÕES


Você pode também rezar os salmos (veja o site da liturgia das horas, aí ao lado direito), as orações propostas no índice (basta clicar), ou mesmo fazer orações próprias, colocando diante de Deus o que lhe vai ao coração.


Uma coisa importante é ser espontâneo em nossas orações. Como diziam o Pe. Carlos de Foucauld : "Rezar é olhar para Jesus, amando-o!"e o Cura D'Ars, S. João M. Vianney: " Orar é olhar para Jesus sabendo que ele está olhando para você! "


Não há oração poderosa, como se diz por aí. Toda oração pode ser ouvida, se Deus assim o quiser, se for feita com sinceridade de coração e se você estiver precisando daquela graça, ou seja, se essa graça for realmente útil para você.


Muito cuidado, também, para não "determinarmos" a graça de Deus. Isso é muito perigoso! Diz S. Tiago, 4,15:


"Devemos falar: Se Deus quiser, viveremos ou faremos isto ou aquilo"


Reze com confiança e deixe tudo nas mãos de Deus. Limite-se a pedir e fazer tudo o que estiver ao seu alcance. O conceder ou não a graça depende a vontade dele.


Em Lucas 18,9-14 Jesus atende ao publicano por ter sido humilde em sua oração, mas não atende ao fariseu, por seu orgulho. Em Mateus 6,7, Jesus criticou a oração dos pagãos, que achavam ser atendidos pelo muito pedir. Como explicar, então, o Rosário, que parece ser uma repetição?


Na verdade, essa repetição é como um “mantra”, uma música de fundo, que forma como que o cenário para a oração princiapl, que é a meditação dos mistérios do rosário. Enquanto você reza as Ave-marias, seu espírito se une a Deus pela contemplação dos mistérios abordados. 


Não se trata, portanto, de uma “vã repetição”, como poderíamos pensar. Aliás, o rosário desacompanhado das meditações dos mistérios não tem muito sentido, diz o falecido papa João Paulo II.


Outra coisa é o modo de dar “receitas” de como rezar para obrigar Deus a nos atender. Isso é uma loucura! Já dizia o livro da Sabedoria 1,1-2: “ Pensai no Senhor com retidão, procurai-o com simplicidade de coração, porque Ele se deixa encontrar pelos que não o tentam”.


Ora, uma faz formas de “tentar” a Deus é exigir que ele nos atenda, e do nosso modo. Coloquemo-nos nas mãos de Deus, e ele saberá do que realmente precisamos para viver e como viver, a fim de irmos para o céu após nossa morte. Diz Jesus em Mateus 7,9-11: 


“Quem de vós dará uma pedra a seu filho, se este lhe pedir um pão? Ou lhe dará uma cobra, se ele lhe pedir um peixe? Ora, se vós que sois maus sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará coisas boas aos que lhe pedem!”


Pode ser, porém, que estamos na verdade pedindo a pedra, a cobra, em vez do pão ou do peixe. Só Deus sabe o que é melhor para nós! Devemos pensar não tanto nas coisas materiais, desta vida, mas na vida eterna!


Sobre a insistência na oração, Santo Agostinho diz que Deus sabe muito bem do que precisamos, mas quer que lhe peçamos muitas vezes para assumirmos aquilo que pedimos e nos conscientizemos da importância daquilo em nossas vidas.


Se o pai der a bike ao filho logo que ele lhe pedir, este não lhe dará o devido valor. Entretanto, se lhe prometer que lha dará no final do ano, caso ele tire notas boas, por exemplo, na certa o filho vai ansiar receber o presente, vai estudar bastante e animar seu coração para utilizar bem a bike, quando recebê-la.


Assim é nossa oração: a demora provocará uma atenção maior ao pedido que fizemos e daremos mais valor à graça de Deus quando a recebermos. Muitas vezes eu agradeço a Deus por não ter atendido alguns de meus pedidos no passado! Decerto, agora eu estaria arrependido. Ainda bem que Deus não me atendeu!


Quanto à oração comunitária, quando não der tempo ou certo de ir à missa, como por exemplo, quando tiramos férias num ambiente onde não haja possibilidade, não fique sem a celebração! Consiga pelo menos mais uma pessoa e façam uma leitura bíblica, comentem o que leram, façam uma oração em comum, e você estará não só agradando a Deus, mas também cumprindo o mandamento da Igreja que pede que participemos das missas aos domingos. Diz Mateus 18,20: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, aí eu estarei”.


A oração nos prepara para a provação, como diz Eclesiástico 2,1: “Filho, se aspiras a servir ao Senhor, prepara a tua alma para a provação!”


Orar é como lançar nossas raizes na corrente de água fresca (Salmo 1 e Jeremias 17,8), água fresca essa do amor de Deus. Nunca sentiremos o rigor da solidão, pois sempre sentiremos a presença de Deus. Sem a oração, nossa casa ficará deserta, pois não atenderemos Jesus, que quis reunir-nos “ Como a galinha reune os pintinhos debaixo de suas asas” ( Mateus 23,37-38).


“Vossa casa ficará deserta!” Que palavras terríveis! Imaginemo-nos sozinhos num deserto! Assim será a nossa vida sem a oração! A oração é como a água fresca, as frutas geladinhas, o alimento saudável que matam nossa sede e nossa fome do amor de deus!


Sempre imaginei o inferno como um terrível, árido quente e dolorido deserto, em que não veremos ninguém e nada! Assim será a nossa vida sem a oração.


“Ó Deus (...) a ti procuro, de ti tem sede minha alma! Minha carne por ti anseia como a terra ressequida, sedenta, sem água!” (do Salmo 62/63).


O que fala Santo Agostinho sobre a oração constante? Por que rezar constantemente? Deus precisa disso? Veja a seguir o que ele diz. 

Da Carta a Proba, de Santo Agostinho, bispo (Ep.130,8.15.17-9,18: CSEL 44,56-57.59-60)
(Séc.V)

Na oração exercita-se a nossa vontade Por que nos dispersamos entre muitas coisas e, temendo rezar de modo pouco conveniente, indagamos o que pedir, em vez de dizer com o salmo: Uma só coisa pedi ao Senhor, a ela busco: habitar na casa do Senhor todos os dias de minha vida, para contemplar as delícias do Senhor e visitar seu templo? (Sl 26,4). Pois ali os dias não vêm e vão, o fim de um não é o princípio de outro. Todos ao mesmo tempo não têm fim, ali onde nem a própria vida, a  que pertencem estes dias, tem fim.

Para alcançarmos esta vida feliz, a verdadeira Vida nos ensinou a orar. Não com multiplicidade de palavras, como se quanto mais loquazes fôssemos, mais nos atenderia.
Mas rogamos àquele que conhece, conforme suas mesmas palavras, aquilo que nos é necessário, antes mesmo de lhe pedirmos (cf. Mt 6,7-8).

Pode alguém estranhar por que motivo assim dispôs quem já de antemão conhece nossa necessidade. Temos de entender que o intuito de nosso Senhor e Deus não é ser informado sobre nossa vontade, que não pode ignorar. Mas despertar pelas orações nosso desejo, o que nos tornará capazes de conter aquilo que se prepara para nos dar. Isso é imensamente  grande, mas nós somos pequenos e estreitos demais para recebê-lo. Por isto, nos é dito:

Dilatai-vos; não aceiteis levar o jugo com os infiéis (2Cor 6,13-14).

Isso é tão imensamente grande que os olhos não o viram, porque não é cor; nem os ouvidos ouviram, porque não é som; nem subiu ao coração do homem (cf. 1Cor 2,9), já que o coração do homem deve subir para lá. Iso nós o recebemos com tanto maior capacidade quanto mais fielmente cremos, com mais firmeza esperamos, mais ardentemente desejamos.

Por conseguinte, nesta fé, esperança e caridade, sempre oramos pelo desejo incessante.


Contudo, em certas horas e tempos também rezamos a Deus com palavras, para nos exortar a nós mesmos, mediante seus símbolos, e avaliar nosso progresso neste desejo e a nos  estimular com maior veemência a aumentá-lo. Pois tanto mais digno resultará o efeito,quanto mais fervoroso preceder o afeto.

É também por isso que diz o Apóstolo: Orai sem cessar! (1Ts 5,17). O que isso pode


significar a não ser: desejai sem cessar a vida feliz, a eterna, e nenhuma outra, recebida


daquele que é o único que a pode dar?


Oração

Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor, e vos servir


de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.


A ORAÇÃO DE JESUS


São João Crisóstomo (Anais 4,5) diz? Nada se compara em valor à oração; ela torna possível o que é impossível e fácil o que é difícil. É impossível que caia em pecado a pessoa que reza”.


Orígenes diz: “Ora sem cessar aquele que une a oração às obras e as obras à oração. Somente dessa forma podemos considerar como realizável o princípio de orar sem cessar (de S. Paulo Apóstolo).”


Aqui você tem citações bíblicas das muitas vezes que Jesus orava no seu dia a dia. Eu a tirei da Bíblia de Jerusalém, na nota G, de Mateus 14,23. Se você possui essa bíblia, pode ver nela as citações.


JESUS OROU: (Mateus=Mt; Marcos=Mc; Lucas Lc; João = Jo)


NA SOLIDÃO OU À NOITE: Mateus 14,23; Marcos 1,35; Lucas 5,16



ÁS REFEIÇÕES: Mt 14,19; 15,36; 26,26-27


EM OCASIÕES IMPORTANTES:


no batismo: Lc 3,21;


antes da escolha dos doze: Mt 6,5


antes da confissão de Cesaréia: Lc 9,18


na transfiguração: Lc 9,28-29


no Getsêmani: Mt 26,36-44


na cruz: Mt 27,46; Lc 23,46


pelos seus carrascos:Lc 23,34;


por Pedro: Lc 22,32


pelos discípulos da época dele e os do futuro (=nós): Jo 17,9-24


por si mesmo: Mt 26,39; Jo 17,1-5; Hb 5,7


ESSAS ORAÇÕES MOSTRAM E MANIFESTAM:


a intimidade constante com o Pai: Mt 11,25-27


o Pai nunca o deixa só: Jo 8,29


o Pai o atende sempre: Jo 11,22.42; confira Mt 11,25-27


por seu exemplo, bem como pelo seu ensinamento, jesus inculcou aos discípulos a necessidade e a maneira de orar: Mt 6,5 ss


agora, na glória, continua a interceder por nós: Romanos 8,34;Hebreus 7,25; 1ª Jo 2,1, como prometera em Jo 14,16;

AS ORAÇÕES DE SÃO PAULO APÓSTOLO

Romanos (Rm); Efésios (Ef); Filipenses (Fil); Colossenses (Col); Primeira e segunda cartas aos Tessalonicenses (1Ts e 2Ts); Primeira e segunda cartas a Timóteo (1Tm e 2Tm); Primeira e segunda carta aos Coríntios (1Cor e 2Cor); Filemon (Fm); Gálatas (Gal); Hebreus (Hb)


Ver em Romanos 8,27, nota C, da Bíblia de Jerusalém.

Orar sem cessar; Rm 12,12; Ef 6,18; Fil 4,6; Col 4,2; 1Ts 5,17; 1Tm 2,8; 5,5; 1Cor 7,5

Paulo reza sem descanso pelos seus fiéis: Ef 1,16; Fil 1,4; Col 1, 3.9; 1Ts1,2; 3,10; 2Ts 1,11; Fm 4;

Pede que rezem por ele: Rm 15,30; 2Cor1,11; Ef 6,19; Fil 1,19; Col 4,3; 1Ts 5,25; 2Ts 3,1; Fm 22; Hb 13,18;


Pede que rezem uns pelos outros: 2Cor 9,14; Ef 6,18;


A respeito da oração pelos irmãos pecadores e doentes: Confira 1Jo 5,16; Tg 13-16


Pelo progresso espiritual e afastamento dos obstáculos exteriores: 1Ts 2,18; 3,10; Rm 1,10 e interiores; 2cOR 12,8-9


Pelo bem da ordem social: 1Tm 2,1-2


Oração de Ação de Graças: 2Cor 1,11; Ef 5,4; Fil 4,6; Col 2,7; Col 4,2; 1Ts 5,18; 1Tm 2,1


Essa oração de A.G. deve acompanhar toda ação: Ef 5,20; Col 3,17


Às refeições: Rm 14,6; 1Cor 10,31; 1Tm 4,3-5;

Inicia por ela todas as cartas: Rm1,8; 1Cor 14,17; 2Cor 1,11; 4,15; 2Cor 9,11-12


Com cânticos inspirados que edifiquem: Ef 5,19; Col 3,16


Na oração Eucarística e de louvor que são as almas das Assembléias Litúrgicas; 1Cor 11,14

Eficácia da oração pela presença do Espírito de Cristo no Cristão, que o faz orar como filho: Rm 8,15.26-27; Gal 4,6; Ef 6,18; Judas 20


Cristo, à direita do Pai, intercede por nós: Rm 8,34; Hb 7,15; 1Jo 2,1;


O Pai atende com superabundância: Ef 3,20

Os cristão são os que invocam o nome de Jesus Cristo: 1Cor 1,2; confira: Rm 10,9-13; 2Tm 2,22; Tg 2,7; Atos 2,21+; cap.9,14.21; cap.22,16

Com relação à atitude exterior da oração: 1Cor11,4-16; 1Tm 2,8

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

AO LADO TEU, SENHOR

 ( julho 2014)

Ao lado teu, Senhor, todo o barulho cessa e eu me vejo no mais completo silêncio!

Ao lado teu, senhor, minhas algemas se abrem, caem por terra, e eu me vejo livre como os pássaros!

Ao lado teu, Senhor, eu me sinto como numa alta montanha, a receber o frescor da brisa na face, contemplando as mais belas paisagens!

Ao lado teu, Senhor, eu me sinto forte e santo, e todos os meus temores e inseguranças somem como por encanto!

Ao lado teu, Senhor, posso agora caminhar tranquilo, sem me preocupar com o destino, porque vós me levais pela mão!

Ao lado teu, Senhor, quero passar o restante de minha vida, e toda a eternidade!


sábado, 7 de janeiro de 2017

EPIFANIA DO SENHOR


EPIFANIA DO SENHOR 06/02/2013

ISAÍAS 60,1-6

SL 71- "AS NAÇÕES DE TODA A TERRA HÃO DE ADORAR-VOS, Ó SENHOR!

EFÉSIOS 3,2-3a. 5-6

MATEUS 2,1-12



A festa de hoje refere-se à manifestação de Jesus Cristo a todos os povos pagãos (=nações) simbolizados pelos três magos. Os três presentes que eles deram são altamente simbólicos: Incenso: Jesus é Deus; Ouro: Jesus é rei; Mirra: Jesus é homem.

Essa realidade se repete em nós pelo Batismo, mas com uma diferença: Jesus se torna homem, mas nós nos tornamos "divinos" = filhos de Deus.

As últimas estatísticas mostram que somos três bilhões de cristãos num mundo de sete bilhões de pessoas. Os quatro bilhões que não conhecem ou não seguem a Cristo, são esses nossos "reis" magos atuais. E como os três do evangelho de hoje, eles também querem nos ofereceer seus dons, suas qualidades, algumas virtudes que talvez ainda não temos. Se nós, cristãos, aceitássemos ouvir o que eles têm a dizer, talvez prestassem mais atenção no que nós temos a dizer.

A grande diferença entre nós, cristãos e eles, não-cristãos, é que els prticam (e às vezes selvagemente) o que pregam; nós, como dizia Jesus aos judeus, não movemos, muitas vezes, nem uma só unha para praticar o que pregamos.

O padre Carlos de Foucauld, agora beatificado, foi viver sua vida entre os tuaregues, o povo mais atrasado da terra. Ele nunca pregou uma só palavra: sua pregação era a ação. Dizia sempre: "Devemos gritar o evangelho com a nossa vida!".

Na primeira leitura, Isaías diz que Jerusalém era a luz que norteava os outros povos; no evangelho, Mateus diz que Jesus é essa luz que agtrai a todos, sem distinção. S. Paulo, na segunda leitura, diz que o Evangelho, praticado, é a luz visível que vai atrair aos demais para a luz invisível, que é Cristo.

Seja a nossa vida de tal modo agradável a Deus, que possa também iluminar aos que ainda vivem nas trevas, para que encontrem Jesus, o caminho da luz, e a própria luz!

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

SONHOS

"NUNCA DESISTA DOS SEUS SONHOS! SE ELE ACABOU NUMA PADARIA, PROCURE EM OUTRA"!
(Aparício Torelly)

Os sonhos são muitas vezes levados a sério como premonições. Não é bem assim. O sonho é um trabalho conjunto do consciente e do inconsciente. O Inconsciente teima em colocar na sua mente coisas passadas, frustrações, remorsos, intimidades. O Super-Ego, que corresponde a tudo o que você aprendeu e assimilou como certo e errado (simplificando a definição), procura disfarçar o sonho por meio de símbolos, a fim de que você possa dormir tranquilo. 

Desse modo, se você está amando, por exemplo, a namorada de seu amigo, você nunca vai sonhar que está com ela numa conversa intima. O Super-Ego vai fazer você sonhar que seu amigo está viajando, ou mesmo morreu, e você está consolando a namorada dele. Assim você não se sente culpado e pode continuar o sono em paz. 

Nos pesadelos acontece diferentemente: o Super-Ego acorda você a fim de que, por exemplo, você não morra do coração.

Uma escada, para o Joãozinho, pode significar alegria ou lembrança de sua avó, pois ele a usava para "roubar" biscoitos que ela escondia na prateleira de cima. Para o Pedrinho, pode significar tristeza e perigo, pois ele caiu da escada, um dia, e quebrou o braço. Os sonhos de ambos podem ter sido com escadas, mas, como você pode ver, têm significados diferentes.

Pouquíssimos sonhos são presságios, e para pouquíssimas pessoas. Minha mãe era uma delas. Ela sempre sonhava com coisas que ia acontecer, e realmente aconteciam. Mas, como disse, são raros. 

Para evitar pesadelos, evite dormir de barriga cheia!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

VIDA PRISIONAL





1- VIDA PRISIONAL- INTRODUÇÃO


A alegria não está nos objetos, mas no fundo do coração; podemos senti-la no mais rico palácio ou na mais triste prisão”. (Mônica Stocker, parafraseando Sta. Teresinha).

INTRODUÇÃO

Não importa muito, na vida espiritual, onde estamos vivendo, mas como estamos vivendo. A vida na prisão pode ser encarada como qualquer outra, desde que os presos se conservem num caminho de conversão, “estar” preso sem realmente “ser” um preso; viver em liberdade de espírito, mesmo algemado.

O que interessa, de fato, é todos chegarmos à vida eterna, no paraíso, e um preso pode levar vantagem nisso, se sua vida for bem vivida. As privações, a falta de liberdade física, podem ajudar o preso a conservar-se no caminho desejado por Deus, de conversão contínua e sincera.

Infelizmente são poucos os que aproveitam o tempo de prisão como a maravilhosa “hora de Deus” em suas vidas.

 Muitos de nossos leitores gostariam talvez de saber como se vive numa prisão. Conversei com alguns presos, em nossa visita da pastoral carcerária, também com um meu amigo preso, e eles me disseram o que exponho a seguir:

  ESTAR SEM SER

Estar preso sem ser preso é algo muito difícil, porque a convivência com o negativo tende a influenciar as atitudes daquele que quer conservar seu espírito livre. Para isso é preciso evitar falar gírias, praticar a camaradagem, não deixar a oração, a meditação e a leitura de bons livros e da bíblia diariamente, buscar a moderação nas palavras e nas conversas (isto é muito importante!), aplicar-se ao estudo, não participar das conversas negativas e nocivas, não denunciar a ninguém, não ficar reclamando de tudo, e outras coisas mais.

Um dia o preso sairá da prisão e terá que voltar à vida na sociedade. A vida prisional ficará para trás. Se ele viver como preso lá dentro, se isso o influenciar, acabará vivendo como preso aqui fora também.

Ser cristão é algo para a vida toda e em qualquer lugar em que vivamos. Jesus disse que os seus discípulos estavam no mundo, mas não eram do mundo (João 17,15-16).

Estamos no mundo, utilizamo-nos das coisas do mundo, mas não devemos nos apegar ao mundo: nossa verdadeira vida está no céu, onde viveremos a felicidade e a liberdade eternas!


O ouro é um metal precioso de primeira grandeza porque, embora se misture com os outros metais e impurezas, conserva-se desligado deles, não entra em combinação com nenhum deles. No cadinho, ele entra misturado com impurezas e com outros materiais, e sai do outro lado limpinho, sem mistura alguma.

2- TIPOS DE PRISÕES, DE REGIME, COMPORTAMENTO


  TIPOS DE PRISÕES

Há vários tipos de prisões: com e sem facções, mais e menos abastadas, mas e menos lotadas, de crimes em geral e crimes contra os costumes (prisões de “artigo”) etc.

Há pessoas que acham a prisão necessária para a punição dos que cometeram crimes, e há pessoas que acreditam na recuperação de pelo menos uma boa porcentagem de criminosos, e isso se daria numa prisão bem orientada, com recursos humanos.

Na verdade, o que acontece é que muitos por si mesmos, sem ajuda externa, se conscientizam do mal praticado; outros, levados pela prática religiosa dentro dos presídios; mas há outros ainda que saem da prisão pior do que quando entraram, por não haver um acompanhamento psicológico, nem pedagógico, nem sociológico. Por falar nisso, a maioria dos presos é de religião evangélica. Nas penitenciárias, o número de católicos é muito reduzido, na proporção de 900 crentes para cada 80 católicos. Precisaríamos pensar um pouco nisso!

Para se resolver o problema deveria haver um acompanhamento pelo menos mínimo (nem isso há) psicológico, pedagógico, sociológico, a fim de que os atuais presos se conscientizem do que fizeram, mas também saibam e tenham conhecimento de como mudarem de vida, recomeçarem uma vida nova.

A maioria dos que estão na prisão nunca receberam o carinho paterno ou materno, não viveram numa família bem estruturada. Isso faz muita diferença na fase adulta!

Quando o Pai celeste combinou com o Filho a data em que ele nasceria aqui na terra, escolheu escrupulosamente uma família santa, em que Jesus pudesse crescer de modo sadio e bem estruturado. Deus sabe muito bem como isso é importante! Como teria sido a educação humana de Jesus se ele nascesse numa família como a de muitos que vivem nas prisões?

Quem nunca recebeu amor, nunca saberá amar. Vejo que qualquer ser humano, mesmo antes de nascer, já recebeu amor, pois foi eternamente amado por Deus. Confira Jeremias 1,4: “Antes que te formasses no seio de sua mãe, eu já te amei”. Entretanto, muitos nascem vivem e morrem sem saberem disso! Se soubéssemos como somos amados por Deus, nunca pecaríamos! Veja Jeremias 31,3: “Eu te amei com um amor eterno!”

O REGIME FECHADO E O SEMIABERTO

Há uma diferença entre os que estão no regime fechado e os do semiaberto. No regime fechado eles acordam antes das 6. Às 6 horas há a primeira contagem, o café e em seguida alguns saem para o trabalho (dentro do recinto prisional), outros para o estudo, na escola interna, outro grupo que faz trabalhos manuais e um último grupo que não faz nada o dia todo, a não ser dormir e ver televisão.

O almoço é servido às onze horas. Há três horas diárias de banho de sol, ou de manhã ou à tarde, conforme o número de pavilhões.

Às cinco horas há o jantar, mas a contagem e o fechamento das celas acontecem às 16 horas. Ou seja: os presos ficam fora da cela apenas três horas por dia, a não ser os que trabalham nas firmas internas, nos jardins, nas hortas. Às 18 horas há outra contagem, e uma última, às 21 horas.

No semiaberto as celas se abrem às 6 horas e se fecham às 21 horas, com três contagens. Mas isso varia de penitenciária para penitenciária.  Em algumas delas, o semiaberto é mais aberto do que em outras. Mas em todas há a obrigação do trabalho para o semiaberto.

No semiaberto nem todos trabalham fora: muitos trabalham internamente, na faxina ou no apoio ao pessoal do escritório ou das portarias.

Aos sábados e aos domingos há a visita dos familiares. No semiaberto é aos domingos. As famílias dos presos muitas vezes sofrem mais do que eles com as consequências de sua prisão. De fato, só pelo motivo de visitá-lo já é um sofrimento: longa fila no sol forte, revista total (é preciso ficar nu ou nua), certas humilhações quando a visita toma alguma atitude que não é permitida, muitas vezes por simplicidade ou desconhecimento etc.

Outro sofrimento é dos filhos, que acham que os pais não gostam mais deles, pois “saíram” de casa.

Um determinado preso tinha um filho de três anos. Era um problema a hora de o filho ir embora, no final da visita: ele chorava, se agarrava ao pai... O mesmo menino, na rua, quando via as grades das janelas e portões, dizia à mãe, apontando: “papai”... Que tristeza!

Meu amigo preso conta que o rapaz, depois da despedida do filho, sentou-se ao lado dele, com o rosto entre as mãos. O meu amigo, então, lhe falou: “pode chorar, não tenha vergonha! Eles não merecem isso”!

COBRANÇAS NO COMPORTAMENTO

Há muitas “cobranças” no comportamento dos presos, e elas são feitas pelos próprios presos: não são forçadas pelos funcionários. Eis algumas:

1- Não se admite roubos dentro de uma prisão. Quem faz isso (são chamados “ratos de mocó”) é severamente punido pelos próprios colegas. Um dos únicos lugares do mundo ocidental com menor índice de roubos é na prisão! E a punição é mais rigorosa que a daqui de fora.

2- Banhos diários obrigatórios. O que cuida da barraca (tipo de armário onde se coloca a alimentação diária) tem que tomar banho antes de pegar a alimentação servida na janela da porta da cela. A prioridade do chuveiro é sempre dele.

3- É proibido tomar o alimento sem camisa, ou fumando, ou tossindo, ou assuando o nariz, ou fazendo qualquer dessas coisas anti-higiênicas. Também é proibido ir ao banheiro durante as refeições.

4- A limpeza da cela, do banheiro e do WC é caprichada. Não há outro lugar no mundo, afora os hospitais (e olhe lá!) em que se preze mais a higiene que nas celas de uma prisão.

5- A faxina das celas (=barracos) é feita pelos próprios presos, um dia de cada um. Quem não quiser fazer a faxina, paga a outro para fazê-la: o pagamento é, geralmente, um maço de cigarros de determinada marca, nos dias de semana, e dois nas vésperas dos dias de visitas. Há variação da marca de penitenciária para penitenciária.

6- A moeda dentro das penitenciárias, como já perceberam, é o maço de cigarros. Alguns pagam para lavar certas peças de seu vestuário que não querem que sejam lavadas na lavanderia. Custa na média de 4 a 6 peças por maço de cigarros, variando de lugar para lugar. Alguns alimentos também são comercializados pelos que recebem visitas. Os que não recebem muitas vezes fazem esses “bicos” para poderem comprar produtos para a higiene pessoal, já que muitas penitenciárias não os fornecem. Por exemplo: quatro rolos de papel higiênico podem custar um maço de cigarros, dependendo da marca, ou um maço de marcas mais caras e um maço de marcas mais baratas.

Todos podem fazer compras mensalmente: é distribuída uma lista com determinados itens (nem tudo pode ser comprado) e com determinada quantia máxima permitida. O pagamento da compra é feito automaticamente: os responsáveis descontam a quantia gasta no pecúlio que os presos possuem, fruto do trabalho ou de depósitos de familiares.

7 – É dada muita ênfase nas visitas: não podem ser encaradas, ou mesmo olhadas pelos outros. Se se encontram nos corredores ou nas escadas, os que não têm nada a ver com aquela visita viram o rosto para a parede, a não ser que se trate de homens.
Não se admitem bermudas curtas nem camisetas sem mangas nos dias de visitas, nem calças tipo “moletom” ou apertadas. Muito pudor nas vestes.
Só podem entrar nas prisões a mãe, o pai, os irmãos, os filhos e a esposa.

8- As cartas são censuradas, mas livres: podem ser escritas quantas quiserem. Só são barradas as que contenham assuntos não permitidos, como pornografia.

9- A alimentação é feita pelos próprios presos encarregados disso. Não há funcionários trabalhando em quaisquer das atividades pertinentes a manutenção e conservação do prédio. Eles apenas coordenam o trabalho dos próprios presos. Acho isso muito bom, pois dá oportunidade de trabalho para eles.

10- É proibido o usode garfos, facas ou pratos de metal: tudo é de plástico.

11- Os pipas são bilhetes que os presos colocam em caixas próprias para isso, para pedirem atendimento médico ou judiciário. São colocados em caixas separadas.

12- Os homossexuais assumidos moram em celas próprias. Quando isso não ocorre, geralmente seus talheres e copos são separados dos demais. Mas há algumas diferenças entre as prisões nesse assunto.

13- Os barbeiros são gratuitos, mas os presos dão uma pequena contribuição voluntária, de 1 a 2 maços de cigarros.
14- As festas das mães, crianças, Natal, são amplamente festejadas com bandeirinhas, frases, comes e bebes permitidos e presentes para as crianças. A alimentação um pouco melhor nessas ocasiões é financiada pela casa, mas os enfeites e presentes são conseguidos pelos presos com coleta de maços de cigarros. Em algumas prisões isso foi extinto e a festa se resume numa alimentação melhor.

15- Cada cela pode ter um televisor e um rádio.

16- Algumas penitenciárias têm superlotação, com vários presos dormindo em colchões estendidos no chão, chamado de “praia”. Quando há muitos, chegam a dormir cinco em três colchões, de um modo a que chamam “valete”: os pés de um ficam na altura da cabeça do outro. As camas são beliches duplos ou triplos, de alvenaria.


17- A assistência judiciária dos presos é muito precária. Os que não podem pagar um advogado sofrem muitos atrasos nos processos e nos benefícios. No final de 2011 havia 21mil pessoas presas ilegalmente, com penas vencidas ou tempo de condenação já cumprido. A força tarefa libertou-os, mas quantos ainda não continuaram nessa situação!